Os Animais

Bicho do mês de Março de 2017

LOBO-GUARÁ

Chrysocyon brachyurus

Espécie endêmica da América do Sul, ocorre no Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil. Sendo que no Brasil é encontrada a maior parte de sua população.

O habitat do lobo-guará são principalmente campos abertos, com vegetação pouco densa a arbustiva.  Também é encontrado em áreas que sofrem inundações periódicas e campos cultivados pelo homem.

É o maior canídeo da América do Sul, com pernas longas e finas, densa pelagem avermelhada e grandes orelhas. Possui entre 95 e 115 cm de comprimento, com uma cauda medindo aproximadamente 40 cm de comprimento e pesa entre 20 e 30 kg.  Vivem, em média, 15 anos.

Onívoro, alimenta-se de frutas, vegetais, artrópodes, pequenos mamíferos, roedores e aves. Sua dieta também é bastante dependente da lobeira (Solanum lycocarpum), planta com a qual estabelecem uma relação simbiótica: o consumo desses frutos evita complicações renais no lobo-guará, em contrapartida, ele torna-se um importante dispersor das sementes dessa planta, que se mantém intactas mesmo após passar pelo trato digestivo do animal.

A fêmea tem uma gestação de aproximadamente 65 dias, nascendo até seis crias entre junho e setembro. Os filhotes tem pelagem completamente preta, exceto pela ponta da cauda, que é branca, e pesam entre 340 e 410 gramas. O macho auxilia a fêmea na criação dos filhotes durante os primeiros meses, e com 1 ano de idade os lobos-guará atingem sua maturidade sexual.

É um animal de hábitos crepusculares e noturnos. Vive solitário, formando casais apenas no período de reprodução. Também é bastante territorialista, utilizando principalmente marcação odorífera com urina e fezes para demarcar seu território e evidenciar sua presença.

Apesar de internacionalmente não ser considerada uma espécie ameaçada, no Brasil o ICMBio classifica o lobo-guará como vulnerável à extinção. As principais ameaças para a conservação da espécie são: a conversão de terras para agricultura levando a perda do seu habitat e conflitos com os produtores rurais que o perseguem, o fato de ser suscetível a doenças de cães domésticos e os atropelamentos em estradas. Além disso, suas populações sofreram considerável declínio devido à crenças populares a respeito de partes do corpo do animal, pois muitas pessoas o caçavam para arrancar o olho visando proteção e boa sorte. 

Confira os outros meses:

» Dezembro de 2017 - CARDEAL-AMARELO

» Novembro de 2017 - MICO-LEÃO-DOURADO

» Outubro de 2017 - TIGRE-D'ÁGUA

» Setembro de 2017 - PUMA

» Agosto de 2017 - CONDOR-ANDINO

» Julho de 2017 - JABOTI-PIRANGA

» Junho de 2017 - FURÃO

» Maio de 2017 - TIÉ-SANGUE

» Abril de 2017 - PÍTON

» Março de 2017 - LOBO-GUARÁ

» Fevereiro de 2017 - URUBU-REI

» Janeiro de 2017 - URUBU-REI

» Dezembro de 2016 - MARRECA-IRERÊ

» Novembro de 2016 - BABUÍNO-VERDE