Os Animais

Bicho do mês de Agosto de 2017

CONDOR-ANDINO

Vultur gryphus

Sua plumagem é preta e apresenta um colar de penas brancas em torno do pescoço. Os machos possuem uma crista no alto da cabeça. As penas de voo são brancas, sendo mais evidentes nos indivíduos machos. Outra característica interessante é a ausência de penas na cabeça e pescoço. Esta é uma adaptação aos seus hábitos alimentares, pois é mais fácil manter essa pele nua, limpa e seca, após sua alimentação de carniça. Os condores pesam entre 8 e 15 kg e medem, em média, 1 metro de comprimento. Sua envergadura pode chegar aos 3 metros, estando entre as maiores ave voadoras do mundo.

Condores podem viver em grupos ou solitariamente, neste caso, encontrando-se apenas no período reprodutivo. Não costumam construir ninhos, realizando a postura de um único ovo em bordas ou cavidades de penhascos. Ambos os pais participam da incubação dos ovos, que dura aproximadamente 58 dias, e da alimentação dos jovens, que tornam-se independentes após 2 anos de idade, quando o casal volta a reproduzir. Estas aves possuem expectativa de vida de 70 anos.

Os condores desempenham um importante papel sanitário no ambiente, pois ao consumir as carcaças de animais mortos eles auxiliam na prevenção da propagação de doenças no ecossistema.

Os condores tornaram-se ameaçados principalmente pelo envenenamento de carcaças de animais domésticos, como ovelhas e lhamas. Esta prática tinha o objetivo de eliminar os predadores da região dos Andes e áreas adjacentes, porém consequentemente atingiu também os condores.

Ocorre em toda a Cordilheira dos Andes, do Norte da Venezuela até o Sul da Argentina, habitando as montanhas mais altas, em altitudes de até 5.500 metros. Vivem em áreas mais abertas, facilitando a visualização do alimento.  

O Zoo Pomerode integra o Grupo de Manejo Cooperativo desta espécie, que conta com diversos especialistas internacionais e gerencia o Studbook Latino-americano do Condor-andino, um documento que reúne valiosas informações científicas de mais de 275 exemplares. A manutenção desses animais sob cuidados humanos, mesmo que individualmente, é indispensável para maximizar o acervo genético que garante a sobrevivência de uma espécie.

Somando todos estes esforços, o PCCA já reintroduziu 158 condores em toda América do Sul, sendo que os primeiros casais reintroduzidos já estão reproduzindo na cordilheira. 

Confira os outros meses:

» Dezembro de 2017 - CARDEAL-AMARELO

» Novembro de 2017 - MICO-LEÃO-DOURADO

» Outubro de 2017 - TIGRE-D'ÁGUA

» Setembro de 2017 - PUMA

» Agosto de 2017 - CONDOR-ANDINO

» Julho de 2017 - JABOTI-PIRANGA

» Junho de 2017 - FURÃO

» Maio de 2017 - TIÉ-SANGUE

» Abril de 2017 - PÍTON

» Março de 2017 - LOBO-GUARÁ

» Fevereiro de 2017 - URUBU-REI

» Janeiro de 2017 - URUBU-REI

» Dezembro de 2016 - MARRECA-IRERÊ

» Novembro de 2016 - BABUÍNO-VERDE